Crónicas de uma Leitora: O Maior Amor do Mundo, de Seré Pince Halverson [Opinião]

terça-feira, 7 de maio de 2013

O Maior Amor do Mundo, de Seré Pince Halverson [Opinião]



Sinopse:


Ella Beene vive uma vida idílica numa pacata cidade americana, com o marido, Joe, e os dois filhos do primeiro casamento deste. Certo dia, porém, infringindo uma regra de ouro, Joe vira costas ao mar e uma onda arrasta-o para o fundo, levando consigo os seus muitos segredos.
Convencida de que a mãe biológica dos filhos, Paige, os tinha abandonado, é com grande surpresa que Ella a vê aparecer no funeral, decidida a recuperar a custódia.
À medida que os segredos emergem, Ella vê a sua vida perfeita ruir como um castelo de cartas. Mas há duas crianças que precisam de si mais do que nunca e pelas quais está disposta a enfrentar todas as adversidades...

Opinião de Cláudia Lé:


Desde a primeira vez que vi este livro que fiquei fascinada pela capa, existem realmente livros que chamam a atenção por capas bonitas ou de alguma forma, sugestivas e que não nos deixam pensar duas vezes que já temos uns 100 livros por ler e não necessitamos de outro... mas foi exatamente o que se passou comigo, especialmente após ler o 1º capítulo do livro em questão.

Este é um daqueles livros que lemos numa tarde ou em dois dias, de tranquilidade absoluta já que o enredo provoca alguma angústia. O texto está bem escrito, de forma leve, embora lhe falte a fluidez de certas autoras. O tema em si é muito interessante uma vez que temos de um lado, uma madrasta que luta pelos seus «filhos» de há 3 anos, por outro lado encontramos a mãe biológica que os havia abandonado há pouco mais de 3 anos e que, após a morte do pai, decide pedir a custódia das crianças.

Não se iludam pelas aparências, não tomem partidos de uma em prol de outra pois a autora consegue sabiamente dar a conhecer os vários lados da trama, conduzindo-nos à encruzilhada... quem deverá ficar com Annie e Zach. No decorrer da leitura várias foram as questões que se colocaram. Por que motivo Joe não havia contado a Elle o que realmente se passara para Paige abandonar os filhos, por que motivo quando esta os tentara procurar este não proporcionou o encontro... ou isso nunca sucedeu e Paige é uma manipuladora nata?
 
Um dos sub-temas que gostei bastante no livro foi a depressão pós-parto, uma doença hoje em dia já bem conhecida e tratada mas que, ainda hoje e tal como as doenças do foro mental, despertam tantos preconceitos e resistências. O tema dos maus tratos infantis também se encontra presente no livro embora que de forma muito ténue mas que, após leitura completa do livro, nos deixa a pensar na fragilidade da mulher após o parto.

Recomendo a sua leitura em tranquilidade absoluta, de forma a podermos saborear o Amor sob a forma de mãe e madrasta, esta última finalmente bem retratada após anos e anos de contos Era uma vez... uma menina muito boazinha... e uma madrasta malvada!!!

1 comentário:

  1. Por acaso concordo contigo que a capa chama a atenção! Eu já peguei nesse livro inúmeras vezes, mas como previ tudo o que descreveste... angústia, dor e sofrimento, tenho deixado sempre de lado. É um livro demasiado real, e ando numa onda de fantasia, mas já fico com a dica para quando me apetecer ler algo mais "sério" :-)
    Obrigado

    ResponderEliminar