Crónicas de uma Leitora: "O Banquete", de Patrícia Portela - Opinião

sexta-feira, 31 de maio de 2013

"O Banquete", de Patrícia Portela - Opinião






Sinopse
 
O Banquete é uma revisitação dos mitos definidores da Humanidade. Uma surpreendente mistura de ingredientes filosóficos e terrestres para mastigar a nossa imortalidade.
O que nos diz uma notícia radiofónica sobre a Caverna de Platão? O que aconteceria se tivéssemos comido o fruto da segunda árvore do Paraíso?
O que decidiram os pássaros no Encontro Máximo para Reavaliação da Lei Natural Aplicada aos Homens sobre a extinção da Humanidade?
O que acontece a um Fausto que se recusa a cumprir o pacto que assinou com o Diabo?



Opinião do Vasco

Original. Transcendente. Filosófico.
Primeiro ponto, a escrita da Patrícia Portela é extraordinária.
Segundo ponto, este livro é, desde o início, diferente. Por vezes revela-se estranho, noutras alturas demasiado real.
Terceiro ponto, faz com que vivamos um mundo que sentimos que não é o nosso, mas que vamos aos poucos concluindo que talvez seja aquele que se apresenta diante de nós, embora nem sempre o possamos ver.
"O Banquete" é isto. Um enorme pensamento acerca do Homem, do mundo, da natureza, do passado, do destino, da escolha. A autora recorre várias vezes ao ADN durante a narrativa. E ela, a narrativa, acaba por ser isso mesmo: uma dupla hélice, ou várias duplas hélices, que se orientam em sentidos inversos e em planos assentes em várias dimensões.
Patrícia Portela não segue regras nem uma lógica aparente. Lógica essa que terá de ser encontrada pelo leitor, e penso que cada um encontrará a sua.
É um livro excelente, que terei de reler provavelmente por várias ocasiões, pois sei que encontrarei sempre algo mais que me tenha escapado antes.
Ah, e aqui existem animais que pensam e falam. E, bem, à excepção da galinha, eles revelam-se mais perspicazes do que nós, seres humanos.


Sem comentários:

Enviar um comentário