Crónicas de uma Leitora: "After Dark - Os Passageiros da Noite", de Haruki Murakami - Opinião

sexta-feira, 10 de maio de 2013

"After Dark - Os Passageiros da Noite", de Haruki Murakami - Opinião

 
 
Sinopse
Por uma noite, Murakami leva-nos com ele através de uma Tóquio sombria, onírica, hipnótica. Um deslumbrante romance perpassado de uma singular atmosfera poética, na fronteira entre a realidade e o universo fantasmático, onde cada pormenor, olhado retrospectivamente, faz sentido.
Num bar, Mari encontra-se mergulhada num livro, enquanto bebe o seu chá e fuma cigarro atrás de cigarro. Às tantas, entra em cena um músico que a reconhece. Ao mesmo tempo, encerrada num quarto, Eri, a irmã de Mari, dorme com os punhos cerrados, sem saber que está a ser observada por alguém.
Em torno das duas irmãs desfilam personagens insólitas: uma prostituta chinesa vítima de agressão, a gerente de um hotel do amor, um técnico informático, uma empregada de limpeza em fuga. Sucedem-se acontecimentos bizarros: um aparelho de televisão que, de um momento para o outro, começa bruscamente a funcionar, um espelho que conserva os reflexos.
Em Tóquio, durante as horas de uma noite, vai desenrolar-se um estranho drama...
 
Opinião do Vasco
Esplêndido. Obscuro. Arrebatador.
Haruki Murakami é um autor que dispensa qualquer tipo de apresentações. É lido e reconhecido em todo o lado. Mas, por algum motivo, sempre fui adiando a leitura das obras desde escritor. Penso que terá sido pelo facto de ele ser oriundo de uma cultura muito diferente da nossa, cuja forma de abordar o mundo e, principalmente, o interior humano não é de fácil compreensão para os ocidentais - ainda que eu seja um aficionado pelo Japão.
Quanto a isso, ainda bem que o fiz, pois dessa forma fui-me preparando para ler Murakami. Mas o que verdadeiramente me deixa contente foi o facto de não ter demorado muito a fazê-lo, porque este livro é absolutamente genial.
Na realidade, não acho que a narrativa deste autor seja minimamente complicada como algumas pessoas defendem. É antes diferente, por vezes estranha, abrangente e bastante subjectiva. Por tudo isso fiquei completamente rendido à sua obra e modo único como aborda os temas.
Toda a história de "After Dark" prende-nos veemente, porque queremos saber os motivos das coisas serem como nos são apresentadas, a lógica dos acontecimentos, a razão dos estados de espírito das personagens. E damos por nós, ao longo do livro, a descobri-las, mas seguindo o nosso instinto, como se Murakami nos levasse até onde quisesse sem termos noção disso mesmo. Este ponto é brilhante.
De todos os elogios que possa fazer a este livro, existe uma particularidade que nunca vi, ou senti de forma tão vincada. Descobri que o autor é mestre em dizer as coisas sem na verdade as dizer, seja através dos diálogos espantosos, ou através de descrições do que se passa em redor daquilo que quer transmitir, sem contudo abordar a questão directamente. Através de frases e parágrafos aparentemente alheios, conseguimos detectar pormenores intímos das personagens. Este é, aliás, o caminho adoptado em "After Dark", o caminho da escuridão da noite e de quem vagueia nela.
Trata-se de um livro estrondoso.

1 comentário:

  1. Li esta obra e confesso que me custou a entender e achei-a ,na altura ,de leitura difícil.Reconheço,agora, após esta sinopse que é realmente um romance excepcional.
    Tenciona voltar a ler!

    ResponderEliminar