Crónicas de uma Leitora: 80 dias - A cor do desejo, de Vina Jackson [Opinião]

domingo, 21 de abril de 2013

80 dias - A cor do desejo, de Vina Jackson [Opinião]

 

Sinopse

Uma história de amor ousada e sedutora

Summer Zahova é uma violinista ardente e impetuosa, que vive uma relação frustrante com um homem que não a compreende. É na música que encontra a sua libertação. Ela passa as tardes nas estações de metro de Londres a tocar violino, perdida nas partituras de Vivaldi e Mendelsshon. Um dia o seu violino sofre um acidente irreparável e Summer recebe uma proposta inesperada de Dominik, professor universitário, um homem atormentado por desejos inconfessáveis que ficou fascinado por Summer quando a ouviu tocar. Dominik oferecer-lhe-á um novo violino na condição de ela tocar para ele em privado.
Incapazes de reprimir a forte atração que sentem, Dominik e Summer embarcam numa aventura intensa e ousada. Para Summer é a oportunidade de se confrontar com o seu lado mais sombrio, no entanto, cedo se apercebe de que o prazer tem um preço elevado. Mas poderá uma relação nascida de uma tal paixão sobreviver?

Este primeiro volume da série 80 DIAS, de Vina Jackson, é um romance irresistível e um deleite para os sentidos.

Opinião por Vera Carregueira:

Quando iniciei a leitura deste livro apercebi-me do erro que foi pensar que iria gostar. Como tinha lido o primeiro capítulo no site da editora nunca pensei que este fosse o caminho que as páginas iriam traçar. BDSM num dos seus estados mais puro que não consigo sequer definir isto como um romance. As cenas são fortes, demasiado chocantes para algumas pessoas certamente, a linguagem é obscena e todo o livro não passa de uma espiral degradante da personagem principal.
Mais do que o simples facto de não ter gostado deste livro eu simplesmente não consigo entender algo que para mim é um desvio comportamental. Tentei ao máximo manter a mente aberta mas não consegui, a violencia das palavras, a crueza da realidade patente nas páginas do livro deixaram-me num estado suspenso entre a curiosidade mórbida e a repulsa e acabei por ler o livro avidamente sempre à espera que Summer caísse em si e acabasse com esta atitude decadente o que infelizmente só acontece mesmo no final.
O facto de alguém conseguir tirar prazer de um tratamento cruel, violento e morbido é algo que vai contra o que eu acredito ser um dos actos de amor mais puros de um casal.
Ver uma mulher sujeitar-se a submissão, tratada como escrava sem direito a nada é inconcebível para mim e confesso que fiquei bastante impressionada com esta leitura.
Os meus gostos relativamente a livros eróticos são bastante selectivos por isso poucos contemporâneos me agradam mas de qualquer maneira não estava de todo á espera de ver este tema retratado de maneira tão decadente.
Tendo em conta a qualidade da Porto Editora não julguei que pudessem publicar algo de um nível tão inferior ao que estamos acostumados deixando-se levar pela moda dos livros eróticos.

2 comentários:

  1. A Porto Editora não se tem conseguido encaixar bem na new wave. Vejamos os livros da Lisa Kleypas, que adoro! Deram-lhes títulos e capas que apelam a uma sem-vergonhice maior e a um nivel inferior ao do livro!

    ResponderEliminar
  2. Tb concordo Célia...já li o primeiro da Lisa kleypas e adorei e fiquei surpreendida com a escolha das capas se tivessem feito parecidas com os da Quinn da Quinta Essência ou assim... agora eu pensei que fosse diferente e afinal gostei porque n tinha nada a ver com a capa XD

    quanto ao livro do comentário...eu n tou a gostar dos 50 sombras de grey e por isso acho que livros em que a mulher submete-se a algumas cenas só para ser amada...n faz o meu estilo erótico :( e vou-me afastar deles XD respeito quem goste mas eu sou virada pro erótico e romantismo e não pancadaria XD

    bjs*

    ResponderEliminar