Crónicas de uma Leitora: "Ritual de Amor", de Nora Roberts [Opinião]

terça-feira, 26 de março de 2013

"Ritual de Amor", de Nora Roberts [Opinião]


Chancela: Chá das Cinco
Saga/Série: Trilogia Signo dos Sete  Nº: 2
Data 1ª Edição: 01/02/2013
ISBN: 9789897100451
Nº de Páginas: 288
Dimensões: [160x230]mm
Encadernação: Capa Mole

Sinopse

Para Fox, Caleb e Gage o número sete representa tragédia. Há muitos anos, um ritual inocente entre eles libertou um mal antigo na sua terra natal. Como resultado, sete dias de loucura repetem-se a cada sete anos. Agora, já homens, sentem esse mal a regressar. Visões de morte e destruição atormentam-nos. Mas este ano, três mulheres juntaram-se à batalha: Layla, Quinn e Cybil. Será que também elas estão ligadas a essa maldição? Desde criança que Fox tem a capacidade de ler outras mentes, um talento que partilha com Layla. E para combater a escuridão que ameaça a cidade, Fox precisa de ganhar a confiança de Layla. Infelizmente ela não consegue aceitar esse misterioso talento e a nova intimidade com Fox apavora-a. É que Layla sabe que quando abrir a sua mente não terá qualquer defesa perante o desejo que ameaça consumi-los a ambos…

Opinião por Vera Carregueira:

Se o primeiro livro me fez apaixonar pela escrita da autora, este arrebatou-me completamente. Uma vez que já estamos inseridos na trama e já foram feitas "as apresentações" é mais fácil absorver toda a informação que nos é dada. Como conseguimos perceber no primeiro livro cada um dos romances retrata um casal, Ritual de Amor é sobre Fox e Layla. Outra informação que retiramos é o facto de cada casal se estar a agrupar consoante os seus poderes. Cal e Quinn (de Irmãos de Sangue) conseguem ter vislumbres do passado, Fox e Layla conseguem percepcionar os pensamentos/sentimentos alheios do presente e Gage e Cybil vêem o futuro.
Fox O'Dell é um advogado consciencioso, amável e extremamente dedicado à sua família. Tendo sido criado num estilo de vida hippie é bastante apegado à terra, gosta das suas raízes e apesar de ter tentado viver em Nova Iorque sentiu-se deslocado, preferindo voltar à cidade natal. A construção desta personagem é apaixonante pois vamo-nos apercebemos da sua complexidade lentamente. Confesso que gostei bastante mais de Fox do que de Cal.

Layla é uma personagem muito interessante. Ela sente-se caída de para-quedas naquele "mundo". Enquanto os homens vivem aquela situação há anos e as outras mulheres estão habituadas a lidar com o oculto, Layla sente-se perdida e tem uma grande dificuldade em lidar com o assunto.  Contudo consegue mostrar que tem uma personalidade forte e bastante racional. Apesar de a racionalidade nem sempre ser o melhor caminho como se vem a demonstrar. A sua dificuldade em lidar com o que presente é patente em várias situações e por isso vai compartimentando para mais tarde conseguir entender. Aos poucos vamos vendo ela abrir-se mais aos sentimentos, o facto de trabalhar esse aspecto com Fox é bastante importante para a sua evolução pessoal e a personagem vai crescendo ao longo da obra, deixando de ser tão apagada como era no primeiro livro.

As personagens secundárias têm um papel mais relevante apesar de não serem determinantes na construção da narrativa, por exemplo a familia de Fox que nos faz aprender mais um pouco sobre este, levando-nos a perceber a sua visão da família.

Há alguns pontos chave ao longo da leitura que são determinantes. Para mim o mais romântico foi sem dúvida quando num acto de amor se abrem um para o outro e através do seu poder conseguem "ver" e sentir o que o outro "vê" e sente, fazendo-os amarem-se até à exaustão. Neste livro volta-se a repetir o esquema do primeiro, apesar da base ser um casal e a sua evolução e aproximação, os seis amigos e as suas descobertas sobre o que os atormenta são a parte fundamental do livro. O factor sobrenatural está mais uma vez escrito com excelência e originalidade.
Nora Roberts consegue dar à narrativa suspense, ação e muito amor. A informação que nos é dada é bem distribuida, não sendo fornecida toda de uma vez nem a conta gotas, mas antes na cadencia e com o timing perfeitos. Uma leitura viciante, que me prendeu desde o inicio e com um final tão electrizante que me faz ansiar pelo último volume desta trilogia.
Para finalizar, quero deixar apenas uma nota referente ao facto de a revisão do texto estar muito superior em relação ao livro anterior o que me deixou bastante agradada já que tinha detetado vários erros e desta vez não vi tantas falhas. Ponto bastante positivo!

Sem comentários:

Enviar um comentário