Crónicas de uma Leitora: [Opinião] A Sereia de Carolyn Turgeon

segunda-feira, 11 de março de 2013

[Opinião] A Sereia de Carolyn Turgeon

A Sereia
 Autor: Carolyn Turgeon
Edição/reimpressão: 2012
Páginas:240
Editor: Planeta

Sinopse:
A princesa Margrethe está escondida num convento porque o seu reino está em guerra e um dia, no jardim que dá para o mar gelado, testemunha um milagre: uma sereia emerge das ondas com um homem nos braços, moribundo. Quando chega à praia, a princesa descobre que a sereia desapareceu no mar e enquanto trata do belo estranho, descobre que é um príncipe e também o filho do grande rival do pai. Certa de que a sereia lhe entregou aquele homem por uma razão, Margrethe engendra um plano para acabar com a guerra no seu reino.
Entretanto, a princesa Lenia anseia voltar para o homem que transportou para terra e não se importa de trocar o seu mundo, a sua voz e até a sua saúde por umas pernas e a possibilidade de lhe conquistar o coração... Uma versão surpreendente da história clássica, A Sereia é a história de duas mulheres que têm tudo a perder, fazendo-nos pensar duas vezes na história de fadas que ouvimos em crianças, uma história que nos mantém em suspenso até à última página.

Opinião:
A Sereia é contada através de dois pontos de vista diferentes, o da Princesa Margrethe e o da Sereia, também princesa,Lenia.
Para que não seja encontrada por um rival,Margrethe tem de se esconder num convento, enquanto que a sereia,que comemora 18 anos de vida tem uma oportunidade de conhecer o mundo exterior, e ninguém gosta mais deste mundo do que ela.
Depois das freiras se irem embora Margrethe fica sozinho no terraço a ver o mar, até que repara que alguém ou alguma coisa dá a costa.
Na sua viagem ao mundo humano, Lenia tem o azar de ser num dia de tempestade, mas isso não a impede, mas o mar está nervoso e violento, tão violento que atira uma tripulação a agua e toda a gente morre, excepto uma pessoa, um humano que Lenia tenta salvar levando-o para a terra firme.
E é ai que os olhares de Margrethe e Lenia se cruzam, com o pedido da ultima: Ajuda-o.
Sinceramente “A pequena sereia” da Disney era dos meus contos preferidos, por isso eu fiquei um pouco desconfiada do livro, pensei que talvez poderia ser um pouco mais violento, a sério.
Lenia deveria ser a minha preferida, por ser a sereia, mas não foi. Achei-a muito egoísta, infantil o que é normal, visto ela entrar num mundo que não é nada somo ela pensa e ficar logo apaixonado pelo humano que salva, Christopher. Este não é grande pessoa, ora quer a Margrethe, ora quer Lenia.
Margrethe sim, foi a minha preferida, acho que qualquer pessoa gostaria dela. Uma personagem muito forte e preocupada com os outros, pensando no seu reino e nas pessoas que tinha a seu cargo, embora escondida. Por isso mesmo afasta a ideia de estar apaixonada por Christopher.


A história não é nada por ai além, inspirado na famosa história original de Hans, mas escrita de uma maneira mais “adulta” fluída e de certa forma até mágica, com cenários bem descritos envolventes.



Sem comentários:

Enviar um comentário