Crónicas de uma Leitora: "A Voz", de Arnaldur Indridason - Opinião

sexta-feira, 8 de março de 2013

"A Voz", de Arnaldur Indridason - Opinião

 
Autor: Arnaldur Indridason
Edição/reimpressão: 2011
Páginas: 304
Editor: Porto Editora


Sinopse:
Gudlaugur, o velho porteiro de um dos mais famosos hotéis de Reiquiavique, é encontrado seminu e apunhalado no seu miserável quarto na cave do hotel. Mas Gudlaugur é muito mais do que um simples porteiro que também se disfarça de Pai Natal para as festas das crianças - ele é um completo mistério. Ao fim de vinte anos a trabalhar no hotel, ninguém parece conhecê-lo verdadeiramente. À medida que a investigação prossegue, uma teia de más intenções, avidez e corrupção começa a emergir. Toda a gente - entre funcionários e hóspedes - tem algo a esconder. Mas o segredo mais chocante reside no passado da vítima, no qual o inspector Erlendur tem de mergulhar para encontrar o assassino.
Um romance tenso, com uma atmosfera perturbante, pela mão de um dos melhores escritores de policiais da Europa.
 
 
Opinião:
Fluido. Crítico. Agradável.
Este é um policial tipicamante nórdico, com uma narrativa coerente, sem grandes desvios do enredo principal e com descrições frias e sustentadas. Pelo meio, o autor vai aproveitando para caracterizar a sociedade islandesa, por vezes de forma não muito simpática. A acção passa-se em volta de um hotel e Indridason aproveita para mostrar aquilo que envolve aquele negócio, incidindo sobre a prostituição, o desinteresse dos seres humanos uns pelos outros, a má fortuna de uns ou o insucesso de outros.
Curiosamente, as personagens parecem ter uma espécie de nuvem negra que os persegue, tornando-se particulares relativamente aos que costumam ser concebidos por outros escritores do género. Isto é notório não só na personagem principal, que parece levar uma vida sem grande emoção nem sentimento, assim como na personagem cuja vida é vasculhada na ânsia de que o crime seja desvendado.
Considero "A Voz" um livro muito bom, cuja mensagem vai mais além de um simples policial.




 

1 comentário: