Crónicas de uma Leitora: [Opinião] Todas as cartas de Amor de Ana Casaca

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

[Opinião] Todas as cartas de Amor de Ana Casaca

Todas as Palavras de Amor




Sinopse

Numa viagem em busca de si mesma, Alice escreve a primeira de muitas cartas a um grande amor. Não imagina que, na morada para onde envia as cartas, vive António, um homem que nunca viu. O homem recebe a primeira carta e as palavras daquela mulher que também não conhece, confrontam-no com aquilo de que sempre fugira.
Alice é uma mulher divorciada à procura do seu próprio rumo. António é um padre que, nunca ousou trilhar o caminho do amor. Todas as Palavras de Amor é um romance que começa com a surpresa de um engano. Depois, em páginas de uma escrita fulgurante, aprendemos que um engano talvez seja a melhor forma de modificar duas vidas para sempre.


Opinião

Como referido no final do livro, baseado no caso verídico da autora, que a determinada altura começou a receber postais que não eram dirigidos a si, "Todas as palavras de amor" reúne duas pessoas, que não se conhecem, por engano. Temos Alice, uma mulher que aos trinta anos, percebe que a vida que levou até agora nunca a satisfez e que o traçar do seu próprio destino só lhe cabe a si, e António, um padre resignado ao amor a Deus, pecando todos os dias por não acreditar numa profissão e fé que lhe foram impostas pela família.

Começando pelo óbvio, todo o livro é escrito em cartas, tirando algumas páginas onde a narrativa é em prosa. Não é a primeira vez que leio um livro assim, mas confesso que o método usado pela autora talvez não tenha sido o melhor para a história de amor de António e de Alice. É que usando esta forma de comunicação, a narrativa carece de desenvolvimento e torna-se monótona pela falta de diálogos. Achei que a autora poderia ter explorado melhor todo o enredo, como por exemplo o passado de Alice e o que a levou a tomar a decisão de partir e deixar tudo para trás. É-nos apresentado o "grande amor" da vida de Alice, que origina estas belas cartas, mas os poucos adjectivos que nos são dados sobre Pedro (que afinal não é António) não deixam criar grande empatia com esta personagem que acaba por ser a figura principal, apesar do pouco destaque que acaba por ter . 

Por falar em personagens principais, confesso que não achei a história entre os dois protagonistas interessante, tendo ficado mais interessada em Clara, a avó de Alice e até no casal de amigos de António, Tomás e Sofia que lutam contra um casamento que há muito perdeu o fogo da paixão. Iguais a tantos casais que hoje em dia apenas continuam juntos, pelo amor ao filhos ou pelos tempos difíceis que se atravessam, achei a história de amor do Tomás e da Sofia muito mais complexa e emotiva que a do casal principal.

Não querendo ser crítica demais e não negando o talento que a autora tem, invejando um pouco a escrita poética e profunda que percorre o livro, achei que mais umas boas cem páginas no livro não fazia mal nenhum. Fica a sensação que tudo correu rápido demais e não ficou nada gravado na memória. A escrita é simples e fluída e até me surpreendeu por ter certos vocábulos que não conhecia e gosto sempre de adquirir vocabulário. Com o carimbo de melhor romance do ano, "Todas as palavras de amor" é um romance que deixa satisfeito todas as românticas incuráveis. 

Sem comentários:

Enviar um comentário