Crónicas de uma Leitora: "A Chuva Antes de Cair", de Jonathan Coe - Opinião

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

"A Chuva Antes de Cair", de Jonathan Coe - Opinião



Jonathan Coe
Edição/reimpressão: 2010
Páginas: 222
Editor: Edições Asa

Sinopse:
Um dia, Rosamond fez um pacto de sangue com a sua prima Beatrix. Eram ambas crianças e, ainda que por motivos diferentes, solitárias e carentes. Rosamond nunca poderia imaginar até que ponto aquele momento seria decisivo para a sua vida. Sedenta de atenção, Beatrix vai protagonizar uma tragédia cujos efeitos nunca poderia prever, arrastando consigo a prima, cujo destino está fatalmente ligado ao seu. Mais de meio século depois, Rosamond morre, sozinha, no isolamento da sua casa no campo. Para trás deixa um enigmático conjunto de cassetes, alguns álbuns de fotografias e o inesperado nome de uma pessoa que ninguém vê há mais de vinte anos
A Chuva Antes de Cair retrata de modo comovente a natureza fugaz do amor e da felicidade. Mas, acima de tudo, é uma magistral reflexão sobre a maternidade, a memória e o poder da verdade.

Opinião:
Maravilhoso. Sentimental. Melancólico.
Quando me propus fazer opiniões para o blog prometi a mim mesmo não repetir autores. Não é que eu não tenha palavra, porque tenho, mas este autor, Jonathan Coe, merece cada frase que lhe seja destinada pelos mais variados motivos. No entanto, a principal razão prende-se na originalidade do escritor em tornar o incomum em situações que fazem todo sentido na cabeça do leitor. Pelo menos, para mim é assim. Ele é capaz de oferecer lógica a qualquer situação aparentemente bizarra ou incompreendida, tornando a leitura das sua obra uma experiência fascinante.
E neste livro Coe liga uma série de pessoas por alguns dos sentimentos mais básicos que existem. Amor, solidão, compaixão, perda e raiva são alguns deles. Para além disso, alia-os a algo que o destino costuma traçar, o azar de ser o que se é e de viver onde e com quem se vive. Confuso? Não. Para compreender basta ler este livro fantástico daquele que é para mim o melhor escritor da actualidade presente nas minhas estantes.
Todo o enredo é de uma sensibilidade impressionante e a linha de pensamento de Coe revela uma genialidade admirável.
É um prazer apreciar aquilo que este senhor escreve. É dos grandes.

5 comentários: