Crónicas de uma Leitora: Uma Promessa de Felicidade de Anita Shreve - Novidade

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Uma Promessa de Felicidade de Anita Shreve - Novidade




O exotismo de África enquadra magnificamente o novo romance de Anita Shreve, intitulado Uma Promessa de Felicidade. A terceira obra que a Porto Editora publica desta consagrada autora chega às livrarias portuguesas a 5 de fevereiro e aborda a fragilidade das relações.

Depois de Testemunho, em 2010, e A Ilha dos Desencontros, em 2011, Anita Shreve regressa com um romance queversa sobre a perda e o perdão na relação de um casal. Com uma linguagem soberba e uma enorme profundidade, em Uma Promessa de Felicidade, a autora conduz o leitor pelas paisagens africanas, numa viagem que é também interior. Este romance, «que a eleva acima da típica literatura feminina» (USA Today), foi muito elogiado pela crítica.

Sinopse
Margaret e Patrick estão casados há apenas alguns meses quando decidem partir para o Quénia, convencidos de que irão viver uma grande aventura em África. No entanto, Margaret depressa se apercebe de que não conhece os costumes complexos do seu novo lar e tão-pouco o homem que tem ao seu lado.
Quando, certo dia, um casal inglês os convida para escalar o monte Quénia, eles aceitam, entusiasmados, o desafio. Porém, durante a árdua subida, ocorre um terrível acidente e, no rescaldo da tragédia, Margaret ver-se-á enredada numa teia de dúvidas sobre o que se passou realmente na montanha. Estes acontecimentos, que a irão afetar profundamente, terão consequências indeléveis no seu casamento.

Uma Promessa de Felicidade retrata-nos a relação de um casal, o impacto definitivo da tragédia e a natureza esquiva do perdão. Com uma linguagem soberba e uma enorme profundidade, Anita Shreve conduz-nos pelas paisagens exóticas de África, numa viagem até ao interior de nós mesmos.

Anita Shreve
Natural do Massachusetts, onde ainda hoje reside, Anita Shreve formou-se na Tufts University, foi professora e acabou por enveredar pelo jornalismo após uma das suas histórias ter ganho o O. Henry Prize, em 1975, escrevendo então artigos para revistas como a Quest, Us e Newsweek. Mais tarde, publicou dois livros de não ficção a partir de artigos publicados na The New York Times Magazine. Em 1989 abandonou o jornalismo e dedicou-se apenas à literatura, alcançando um grande sucesso internacional - as suas obras venderam já mais de 7 milhões de exemplares em todo o mundo. Em 1998, recebeu o PEN/L.L. Winship Award e o The New England Book Award para ficção.
No catálogo da Porto Editora figuram os romances Testemunho (2010) e A Ilha dos Desencontros (2011).

1 comentário: