Crónicas de uma Leitora: Comece o dia Feliz

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Comece o dia Feliz





Título: Comece o dia feliz
Autor: J. S. Nobre
Editora: Paulinas Editora, 1ª Edição Agosto de 1992; 20ª Edição Maio de 2011
Páginas: 304
Formato: livro de bolso

Sinopse:
Abra ao acaso, todas as manhãs, em qualquer página; aquela que lhe sair, da esquerda ou da direita, tome-a como a que lhe está reservada para ler e meditar. É importante que, em cada manhã, antes de iniciar o trabalho diário, pense um pouco sobre um face qualquer da Verdade, que o leve a viver melhor o seu dia.

Opinião:
Como pessoa muito sensível, com os sentimentos à flor da pele, revolta-me e, ao mesmo tempo, entristece-me que a sociedade esteja, a cada dia que passa, a perder os melhores princípios da vida. São poucas as pessoas capazes de cultivar a fraternidade humana, compartilhar a felicidade alheia, sem nunca invejar as conquistas dos nossos semelhantes, ajudar o próximo sem pedir nada em troca, aprender que a dor e o sofrimento também fazem parte da vida e ajudam-nos a crescer e a amadurecer, agradecer, no fundo, a Deus por cada dia que vivemos. Mesmo que tenhamos de passar por provações temos de ser fortes e tentar ultrapassá-las com pensamentos positivos. Sei que, por vezes, não é fácil mas este pequeno livro ajudou-me muito a ganhar essa força interior e a cultivar, ainda com mais força, a fé em Deus. Afinal, não andamos neste mundo sozinhos e mesmo quando nos sentimos sós há lá em cima uma força divina que nos ampara a cada queda, nos presenteia, depois, com momentos alegres e pequenas conquistas. Só temos de aproveitar cada momento ao máximo. Este pequeno mas grande livro comprei-o, no ano passado, numa feira em Vila Nova de Gaia e, desde aí, anda sempre comigo na carteira. Sempre que preciso de algo que me anime ou tenha uma dúvida abro numa página à sorte e reflicto na mensagem que me foi reservada. São pequenos pensamentos mas de grande sabedoria, que nos ajudam a meditar, a refletir porque como diz o autor J. S. Nobre, o apóstolo escreveu que “o que é justo, verdadeiro, puro, santo, amável, o que goza de boa fama, o que é virtude ou disciplina louvável, tudo isso deve ser meditado”. E, numa altura em que poucos encontram a luz ao fundo do túnel, dadas as dificuldades financeiras de um país que já caiu no abismo, este livro pode ser um bom conselheiro e ajudar-nos naquelas alturas mais complicadas. Alimenta-nos a alma, reforça o nosso “eu” e com isso aprendemos a dar valor a pequenas coisas e a encontrar soluções para o que julgávamos não ter remédio. Acreditem que vale bem a pena!!!

Susana Cardoso

Saudações literárias

Sem comentários:

Enviar um comentário