Crónicas de uma Leitora: Sonhos Proibidos - Lesley Pearse

domingo, 2 de dezembro de 2012

Sonhos Proibidos - Lesley Pearse


Ficha Técnica

Autor: Lesley Pearse
Edição: 2012
Páginas: 624
Editor: Asa

Sinopse:

Londres, 1910. Belle tem quinze anos e uma vida protegida. Graças aos cuidados da ama, ela nunca se apercebeu de que a casa onde vive é um bordel, regido com mão de ferro pela sua mãe. Porém, a verdade encontra sempre maneira de se revelar... Para Belle, será no trágico dia em que assiste ao assassinato de uma das raparigas da casa. Ingénua e indefesa, ela fica à mercê do criminoso, que a rapta e leva para Paris, onde se inicia como cortesã. Afastada do único lar que conheceu, a jovem refugia-se nas memórias de infância e acalenta o sonho de voltar aos braços do seu primeiro amor, Jimmy. Mas Belle já não é senhora do seu destino. Prisioneira da sua própria beleza, é alvo do desejo dos homens e da inveja das mulheres. Longe vão os anos da inocência e, quando é levada para a exótica e decadente cidade de Nova Orleães, ela acaba por apreciar o estilo de vida que o Novo Mundo tem para lhe oferecer. Mas o luxo e a voluptuosidade que a rodeiam não mitigam as saudades que sente de casa, e Belle está decidida a tomar as rédeas da sua vida. Um sonho que pode ser-lhe fatal pois há quem esteja disposto a tudo para não a perder. No seu caminho, como barreiras fatais, erguem-se um continente selvagem e um oceano impiedoso. Conseguirá o poder da memória dar-lhe forças para sobreviver a uma viagem impossível?

Opinião:
Há muito tempo que não lia nada de Lesley Pearse. De facto, de todos os livros editados pela ASA, apenas li dois e os restantes três estão a apanhar pó na estante. Com o lançamento de mais um livrinho, não resisti a ler a mais recente obra da autora, publicada neste mês pelo grupo Leya.

Sonhos Proibidos leva-nos até Londres, ano de 1910. Encontramos Belle, um jovem de 15 anos que não conhece outra realidade senão a do mundo da prostituição. Sempre viveu no Annie’s Place um bordel de luxo em Seven Dials, embora nunca tenha percebido completamente o que ocorria quando as habitantes de casa levavam os cavalheiros para os quartos de cima.

Esta curiosidade acaba por ser revelada da pior maneira, como diz bem na sinopse, Belle testemunha um assassinato. Este crime irá mudar para sempre o rumo da sua vida. Desprotegida, Belle é raptada e levada para Paris onde acaba por ser violada e vendida. Pior não lhe poderia acontecer, pensa o leitor, mas a verdade é que Belle acaba por viajar até à América, cidade de Nova Orleães onde irá trabalhar como prostituta de luxo no Martha’s, outro bordel. Daqui até ao final do livro, Belle segue o seu caminho, sozinha, não desistindo do seu sonho de menina, ter uma Chapelaria. Não culpando ninguém pelo que passou, encara todos os desafios da vida com a maior esperança, procurando um futuro melhor.

Passando ao que achei do livro, a trama de “Sonhos Proibidos” não poderia ser mais dramática. A autora é conhecida pelos seus enredos complexos e digamos a puxar para o triste, e este livro não foge à regra. Como mencionei acima, temos a prostituição, venda e comércio de raparigas que eram violadas e controladas por homens que buscam apenas a sua própria diversão. Não é um tema fácil de ler, e certamente poderá chocar os mais sensíveis, tal como me fez a mim, mas Lesley Pearse tem o dom de construir personagens fortes e sólidas, deixando-nos absortas do destino que Belle irá percorrer. O que quero dizer é que apesar de todo o mal e azar que a vida lhe proporcionou, Belle tentava tirar o maior proveito de todas as situações que enfrenta, acabando por se convencer que é a sua melhor escolha. Com uma garra inigualável, esta personagem é sem dúvida alma do livro. 

Apesar da sua personalidade forte e corajosa, o tema central revolta e repugna qualquer leitor, mas é um alerta para uma das muitas crueldades que existem no mundo: o tráfico de crianças. Crianças inocentes que percorrem jornadas perigosas até ao final das suas vidas, ficando presas a um mundo de sofrimento que muitas vezes leva à morte. Embora a acção se passe em 1910, ou seja há mais de cem anos, hoje me dia em inúmeros países, o tráfico é bem real e assustador. 

Apesar de todo o livro ser centrado em si, não podemos (nem devemos) esquecer as personagens secundárias que também contribuem para a riqueza do livro. Temos Ettienne, o homem encarregue de levar Belle para a América, e apesar desta tarefa ilegal, percebemos que é um homem com um bom coração e um  trabalho ingrato. Jimmy, o primeiro amor de Belle, que a conheceu antes de ser levada e que fará de tudo para a recuperar, juntamente com Mog, protectora de Belle, desde o seu nascimento. Apesar de não aparecer muito, Annie, a verdadeira mãe, também é um ponto importante no livro, pois percebe que tudo o que fez para proteger a filha do mundo da prostituição foi em vão. 

Não é uma leitura fácil mas que recomendo sem dúvida tanto pela pesquisa da autora como pela própria personagem, um exemplo coragem. 

Como ponto negativo tenho apenas dizer que a capa não condiz minimamente com a história. Podiam ter escolhido outra imagem, pois a modelo nem se parece com a Belle, que é morena. Mas louvo a ASA por ter traduzido o livro numa linguagem directa e frontal sem meias palavras nem rodeios, aqui não há meios termos, sendo usado muitas vezes o vocábulo "puta". 

Mais uma aposta forte da ASA, resta-me esperar pelo próximo livro  - "A Promessa" que promete (brincando um pouco com o nome) ser outra leitura emocionante, onde iremos acompanhar mais um aventura desta pequena guerreira, Belle.

Mafi

2 comentários:

  1. Tinhas que mandar a piadinha em jeito de conclusão eheh

    ora bem , para quem ja leu o Nunca Me Esqueças, nada do que envolva violações e tráfico humano rá surpreender ou desmoralizar. Pelo contrário. Por isso espero ansiosamente pela oportunidade de ler este livrinho.

    ResponderEliminar
  2. ehehe lembrei-me de ti!

    Pois para quem já leu o Nunca me esqueças e até outros livros da autora, não se surpreende com este dramatismo todo, mas para quem não está habituado pode ficar um bocado chocado. ;)

    Vais ver que gostas!

    ResponderEliminar