Crónicas de uma Leitora: [Opinião] Abaddon de Rui Madureira

segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

[Opinião] Abaddon de Rui Madureira

Edição/reimpressão: 2012
Páginas:597

Sinopse:
Sedento de poder e cegado pelo seu próprio orgulho, Lucifer - o primeiro anjo criado por Deus e o mais belo de toda a estirpe celestial - decide rebelar-se contra o Pai divino após a misteriosa e muito polémica criação do Homem. Persuadindo uma enormíssima falange de anjos guerreiros com as suas ideias de revolta e usurpação do trono divino, o primogénito dos anjos avança sobre as muralhas do imponente palácio de Deus com um vasto exército de anjos rebeldes nas suas costas. Porém, travado pelas brilhantes tácticas defensivas dos Arcanjos Michael, Gabriel, Raphael e Uriel, Lucifer acaba por tombar e ver os seus desígnios megalómanos cortados pela raiz, sendo aprisionado no Inferno para toda a eternidade conjuntamente com os seus seguidores. Os milénios passam, mas nem por isso o revoltado Príncipe dos anjos esquece a sua sede de vingança.

Opinião:

Confesso que o que meme fez ler este livro foi mesmo a capa e o titulo. Não tinha qualquer expectativa do livro, nem acho que conhecia a editora nem o escritor. Foi uma espécie de amor a primeira vista na Bertrand. Tratando-se de Dante et Vergil no Inferno de William-Adolphe Bouguereau, fiquei maravilhada por ter tal pintura na capa.
E não foi para menos, começando com a criação dos anjos e da espécie terrena, conhecemos Lúcifer, estrela da manhã, que é o primeiro anjo criado por Deus, que é ensinado por este sobre o mundo e tudo o que lhe rodeia. É ele que vai ensinar também os próximos anjos sobre quem são, o que são e o que devem fazer. Tudo bem até ao dia em que Deus decide criar outra criatura, o Homem, que era livre e não conhecia Deus, e que poderia escolher segui-lo ou não, acreditar ou não acreditar. E no entanto todos os anjos deveriam curvar-se perante ele.
Perante esta criatura que não é mais do que um simples Humano, Lúcifer recusa-se a ajoelhar. Porque ele? Porque um anjo superior deveria ajoelhar-se perante o Humano que era mil vezes inferior a ele? Quando deveria ser o contrário?
Com a recusa de Lúcifer começa então a revolta, querendo este ocupar o lugar de Deus. Mas não está sozinho, um punhado de anjos que acreditam nas suas ideias e da maneira como pensa, vão com ele, afinal de contas foi ele que lhes ensinou quase tudo.
No entanto devido a defesa dos Arcanjos Michael, Gabriel, Raphael e Uriel, Lúcifer não resiste e cai. Sendo preso no Inferno com todos aqueles que o seguiam.
Milhares de anos se passam, mas Lúcifer não consegue nem por nada esquecer, e não quer. O que quer é vingança, destruir o Homem e o Pai. E por isso mesmo junta-se a Abaddon, uma criatura demoníaca que consegue criar o Apocalipse no mundo terrestre. O que leva a que o arcanjo Gabriel seja mandado a Terra, por Deus, para evitar tal acontecimento e salvar o mundo.

Eu adorei tudo no livro, mesmo tudo. As descrições, as personagens fantásticas. Com uma escrita que me prendeu logo desde o inicio e que não me largava, e de repente o tamanho do livro nem parecia muito.

Excerto
“O Homem tornou-se arrogante, prepotente e insensível! Apesar de todos os avisos, o Homem não hesitou em mergulhar numa existência de imoralidade sem limites! Uma existência em que os abastados arrancam o pão da boca dos mais pobres! Uma existência em que os fortes enxovalham os mais fracos! Uma existência onde o amor pelo próximo é considerado uma fraqueza! E agora, é chegado o dia de fazê-los regressar a uma condição de proba humildade. Não percebes, Michael? O espírito do Homem foi infectado pelo vírus da corrupção e da crueldade. E o Apocalipse, por mais brutal e tenebroso que seja... é a única forma de combater essa infecção.”



Sem comentários:

Enviar um comentário