Crónicas de uma Leitora: "Última Saída para Brooklyn", de Hubert Selby Jr. - Opinião

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

"Última Saída para Brooklyn", de Hubert Selby Jr. - Opinião


Autor: Hubert Selby Jr.
Edição/reimpressão: 2006
Páginas: 382
Editor: Antígona

Sinopse:
Nova Iorque década de 50. Bares e clubes nocturnos. Jovens marginais, um grupo de travestis, prostitutas, um grupo de trabalhadores e patrões de uma fábrica e ainda um grupo de famílias de um prédio de habitação social.
Obra censurada na Grã-Bretanha por obscenidade foi adaptada ao cinema em 1989 com assinalável êxito.

Opinião:
Violento. Impactante. Negro.
Este é um daqueles livros incomuns, que raramente se vêem pelos mais variados motivos. Escrito numa época conservadora e instável, tem como objectivo ser brutal. E com sucesso, claro.
O autor encaixa numa série de ligações as pessoas aparentemente mais frágeis de uma sociedade intolerante. Assim, a acção mostra o dia-a-dia e os problemas de personagens destroçadas, sem esperança e com os seus corações partidos; os quais, em vez de viver, simplesmente parecem vaguear por uma cidade incapaz de os absorver.
Hubert Selby Jr. trabalhou de forma magistral temas que abordam a droga, a prostituição, a inadaptação ou  a violência doméstica, os mesmos que continuam a infernizar o presente.
Um livro inesquecível.

Sem comentários:

Enviar um comentário