Crónicas de uma Leitora: [Opinião]A filha da Floresta de Juliet Marillier

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

[Opinião]A filha da Floresta de Juliet Marillier

Autor: Juliet Marllier

Edição/reimpressão: 2002

Páginas: 448
Editor: Bertrand Editora
Série: Sevenwaters


 

Sinopse:


Colum, senhor de Sevenwaters, tinha sido abençoado com sete filhos: Liam, Diarmid, os gémeos Cormack e Connor, o rebelde Finbar e o novo e compassivo Padriac. Mas Sorcha, a sétima filha do sétimo filho, única mulher da família e muito nova para ter podido conhecer a sua mãe, está destinada a proteger a sua família e a defender as suas terras dos Bretões e do clã conhecido como Northwoods. Após a chegada de Lady Oonagh, uma traidora que se infiltrou em Sevenwaters, bela como o dia mas com o coração negro como a noite, tudo mudou. Para alcançar o seu objectivo, enfeitiçou Lord Colum e transformou os seus seis filhos em cisnes, tendo ficado unicamente Sorcha. Depois de escapar ao poder da feiticeira, Sorcha refugiou-se na floresta, longe de casa para poder cumprir a sua tarefa e salvar os seus irmãos. Mas é, entretanto, capturada pelo inimigo, ficando assim todo o seu futuro nublado, uma vez que Sorcha irá estar dividida entre o mundo que sempre tomou como seu e um amor, que só aparece uma vez na vida.


Opinião:
 
A filha da Floresta é uma história do tempo em que a Bretanha e a Irlanda ainda não era uma ilha só. E é uma re-interpretação do mito Celta dos Cisnes

Sorcha é ao sétimo filho de Lorde Colum de Sevenwaters, por sinal a única filha.
Lord Colum passa muito tempo fora de casa, lutando contra os Bretões, e as suas visitas são sempre breves, não que importe aos irmãos, vivem bem sem ele, embora o adorem. Até ao dia que regressa com uma noiva, após 13 anos da morte da sua mulher. A madrasta, não poderia ser pior, uma bruxa que quer destruir os filhos de Colum e a inicio não se entende bem porquê, mas de certa forma odeio-os, querendo colocar uns contra os outros. A melhor maneira é chamar a Dama da Floresta, que só Sorcha pode chamar, porque a ela já lhe apareceu uma vez e a ajudou.
Mas a madrasta descobriu-os junto ao lado a beira da árvore que lhes lembrava da mãe verdadeira, e prendendo os rapazes em corpos de cisnes, Sorcha consegue escapar e só ela pode levantar o feitiço. Mas apesar de fácil, a tarefa é completamente complicada para um “corujinha” como ela.

Pessoalmente adorei Sorcha pela sua maneira de ser, a sua força e a sua paixão. Chorei com ela quando lhe tiraram uma das coisas mais preciosas que ela tinha e que tinha criado com todo o seu amor e o seu carinho. Pequena mas de espírito forte, Sorcha é uma das personagens bem pensadas que Marillier criou. Admirei, claro está, toda a sua paixão pela Natureza e como pedia com jeitinho para retirar o que quer que fosse dela.
Os irmão eram perfeitos a sua maneira, Finbar que tinha uma ligação mais próxima de Sorcha foi um dos quais senti mais pena, admirei a sua coragem e os seus valores.

A melhor parte deste livro é que Julliet pega num mito e transforma-o numa linda história, historicamente realista, e mais uma vez realçando as personagens fantásticas que cria, toda a magia antiga, e todas as lições que nos mostra, o amor dos irmãos, ajudar até mesmo os desconhecidos mesmo que nos digam que é o errado só porque sim.

A história em si é intensa, e apaixonante e por vezes dolorosa. Uma escrita perfeitamente leve e com descrições lindas sobre a terra, que nos deixam levar mais pela história.

Sem comentários:

Enviar um comentário