Crónicas de uma Leitora: Noite de Reis de Trisha Ashley - Opinião

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Noite de Reis de Trisha Ashley - Opinião


Título: Noite de Reis
Autor: Trisha Ashley
Edição/reimpressão: 2012
Páginas: 472
Editor: Quinta Essência



Sinopse
O Natal sempre foi uma época triste para a jovem viúva Holly Brown, por isso, quando lhe pedem para cuidar de uma casa remota nas charnecas do Lancashire, a oportunidade de se esconder é irresistível - a desculpa perfeita para esquecer as festividades. Escultor, Jude Martland, decidiu que este ano não haverá Natal depois de o irmão ter fugido com a sua noiva, e faz questão de evitar a casa da família. No entanto, terá de voltar na Noite de Reis, quando a aldeia de Little Mumming celebra as suas festividades e toda a família é obrigada a comparecer. Enquanto isso, Holly começa a descobrir que, se quer evitar a Natal, veio para o local errado. Quando Jude regressa inesperadamente na véspera de Natal não fica nada contente ao constatar que Holly parece estar a organizar a festa de família que ele esperava evitar. De repente, uma tempestade de neve surge do nada e toda a aldeia fica isolada. Sem fuga possível, Holly e Jude encontram muito mais do que esperavam - parece que a quadra natalícia vai ser bastante interessante!

Opinião por Vera Carregueira:

Durante o verão é uma chef conceituada cobrando exorbitâncias pelos seus serviços, no inverno é house sitter, ou seja cuida da casa dos outros aquando da sua ausência. É esta a vida de Holly Brown desde a morte do seu marido há 8 anos. Ao ser enviada para cuidar da casa de Jude Martland não faz ideia onde se vai meter, achando que iria cuidar de uma grande casa vazia assim como do cão e do cavalo com tempo para ler os diários da sua recém falecida avó, Holly acaba por se ver a cuidar de toda a família de Jude que vive nas redondezas.

Sabendo que Holly não celebra o Natal devido à sua educação como baptista estranha e também ao falecimento do marido nessa época acaba por ser engraçado ver como ela lida com uma família tão ligada a esta altura do ano. Também o conteúdo dos diários da avó de Holly acaba por ser uma descoberta interessante pois o mesmo influenciará toda a história.

Contudo o desenvolver da acção é bastante lento, revelando todos os pormenores do dia a dia da protagonista chegando a ser um pouco maçador, ainda assim para os amantes da quadra natalícia é uma excelente oportunidade para conhecer alguns costumes britânicos assim como as suas (para nós portugueses) excêntricas receitas. Esta é sem dúvida a parte mais interessante até mais de meio da história, conhecer as celebrações e ementas tão próprias da época.

Felizmente a chegada do proprietário da casa vem dar uma nova dinâmica à história fazendo o desenvolvimento avançar mais rapidamente ainda assim não o suficiente sendo o final quase que despejado atabalhoadamente fazendo o casal protagonista mudar de posição radicalmente, declarando-se apaixonado quando ainda nem tinham passado da simples atracção  Holly sendo tão consistente ao longo de toda a história eis que a duas ou três páginas do fim decide que está apaixonada.

No fundo achei que o que teve demais no inicio faltou no fim pecando pela falta de equilíbrio na dosagem das informações a serem dadas ao leitor. Esperava mais desenvolvimento romântico que escasseou bastante em detrimento de detalhes como o colocar a mesa, limpar a cozinha, cuidar dos cavalos, acender a lareira... tudo rotinas diárias que poderiam ter sido omitidas em alguns dias para nos mostrar um aprofundamento da relação do casal. As personagens estão bem construídas contudo Coco está lá só para encher espaço, incomodar as pessoas e mostrar que a Holly é uma santa ao cuidar dela em vez de lhe dar os 2 estalos que ela estava a precisar. De qualquer modo apesar das acções repetitivas a leitura não é difícil, conseguimos apaixonarmo-nos pela família Martland principalmente pelas situações caricatas que acontecem levando Holly por arrasto.

É um livro razoável, bom para uma leitura leve naqueles dias mais frios em que tudo o que queremos é uma manta, uma bebida quente e uma história fácil.

5 comentários:

  1. Bom, não fiquei muito animada para o ler... começo a duvidar se foi boa ideia compra-lo!

    ResponderEliminar
  2. não fiquei convencida :(

    achei o outro uma seca e este tmb me parece...bah!!

    ResponderEliminar
  3. Eu ainda não li o primeiro e pelos vistos devia ter lido, antes de me ter aventurado a comprar este :(

    ResponderEliminar
  4. Eu n gostei do outro dei. Uma estrela no GR LOL achei mesmo secante e fiquei muito admirada pois deve ter sido o 1º livro da QE que não gostei. Por isso nem me aventurei neste, a Vera diz que é secante. Nah prefiro investir em outros livros! olha se também não gostares podes trocar ou vender.

    ResponderEliminar
  5. Lá terá de ser, mas a vontade de o ler já é muito pouca.

    ResponderEliminar