Crónicas de uma Leitora: Cavalo de Fogo - Paris de Florencia Bonelli

sábado, 24 de novembro de 2012

Cavalo de Fogo - Paris de Florencia Bonelli


Edição/reimpressão: 2012
Páginas: 600
Editor: Porto Editora
ISBN: 978-972-0-04375-7
Idioma: Português



Sinopse:

Uma poderosa história de amor tendo como pano de fundo o conflito israelo-palestiniano

Matilda Martínez, uma jovem pediatra argentina, viaja até Paris para aprender o idioma antes de partir para o Congo, ao serviço de uma ONG, para ajudar os mais carenciados. Apesar das suas inseguranças, traumas e dramas, a determinação de Matilde é tão forte que nada nem ninguém conseguirá demovê-la de cumprir o seu sonho.

Eliah Al-Saud é um homem poderoso e sem piedade, descendente da família real saudita. Dono de uma empresa de segurança privada, o negócio serve de fachada a um outro tipo de serviços: de espionagem, segurança e formação de mercenários.

Desde o seu primeiro encontro que o destino os unirá numa paixão tão intensa e irrefreável que nada poderão fazer para evitar a conspiração crescente que ameaça não apenas o seu amor, mas também as suas vidas.

No cenário ameaçador e bélico do conflito israelo-palestiniano, Matilde e Eliah viverão uma aventura que os levará a percorrer o mundo e a enfrentar os perigos que cercam todos aqueles que ousam desafiar os impérios dominantes.


OPINIÃO:

Iniciei a leitura deste livro de «olhos fechados». Nunca havia lido nada da autora e as sinopses e comentários que conheciam eram relativos aos dois romances históricos publicados; O Quarto Arcano. Embora já tivesse lido muito boas críticas a esses livros, talvez por serem de carácter histórico, não me haviam tentado. O Cavalo de Fogo surgiu numa troca e a sua posterior leitura foi desencadeada por ter de o recambiar à minha querida Vera Neves que se encontra por terras lusas.

Relativamente ao livro em si, não o li de um fôlego só porque não me foi possível, há 7 anos atrás de certo que teria acontecido. Se o iniciei com algum pé atrás relativamente ao desenvolvimento do conflito israelo-palestiniano, rapidamente me apercebi que a autora utilizava uma linguagem bastante apropriada para este tipo de romance, fazendo com que uma leiga como eu, acabasse por compreender a mensagem que a autora queria passar.

Os personagens… adorei os personagens. Enterneci-me com a Matilde, pisquei o olho por diversas vezes à Juanita que com a sua alegria contagiante foi um elemento chave no decorrer do romance, gostaria inclusive que a autora se tivesse debruçado um pouco mais nesta personagem. Espanquei mentalmente Celia ou Celine, assassinei Roy de diversas formas e feitios e claro, arrepiei-me com Eliah!

O romance entre Matilde e Eliah foi muito bem desenvolvido e deixa-nos um gostinho a querer mais no final das páginas que lemos. Matilde passa de míuda a mulher, crescendo ao longo do livro. Se no início parecia algo «apagada» pelas cores exuberantes de Juanita e pelo carácter envolvente e dominador de Eliah, demonstra ao longo do romance o seu verdadeiro Eu, não se adaptando ao papel esperado de «mulher bibelot».

Todos os traumas passados pela protagonista, que não irei revelar aqui, acabarão por ser sempre uma sombra no desenrolar do livro o que apreciei, pois as vidas reais não são sempre tão cor de rosa como gostamos de ler e, na minha opinião, são romances agridoces que nos fazem suspirar por mais e acreditar que na vida real, também nós conseguimos superar os desafios que a vida nos dá e aprender sempre mais.

Recomendo às apreciadoras da vida real, às apreciadoras de cenas bastante sensuais, apesar do livro não se basear apenas nestas cenas, o que agradeci mentalmente pois já estou farta de ver chegar às nossas livrarias apenas romances dito sensuais/eróticos.

Este teve para mim a quantidade q.b. necessária para nos deixar de água na boca!

1 comentário: