Crónicas de uma Leitora: Alma Rebelde de Carla M. Soares - Opinião

terça-feira, 6 de novembro de 2012

Alma Rebelde de Carla M. Soares - Opinião


Edição/reimpressão: 2012
Páginas: 288
Editor: Porto Editora




Sinopse:
No calor das febres que incendeiam a Lisboa do século XIX, Joana, uma burguesa jovem e demasiado inteligente para o seu próprio bem, vê o destino traçado num trato comercial entre o pai e o patriarca de uma família nobre e sem meios.
Contrariada, Joana percorre os quilómetros até à nova casa, preparando-se para um futuro de obediências e nenhuma esperança.
Mas Santiago, o noivo, é em tudo diferente do que esperava. Pouco convencional, vivido e, acima de tudo, livre, depressa desarma Joana, com promessas de igualdade, respeito e até amor.
Numa atmosfera de sedução incontida e de aventuras desenham-se os alicerces de um amor imprevisto... Mas será Joana capaz de confiar neste companheiro inesperado e entregar-se à liberdade com que sempre sonhou? Ou esconderá o encanto de Santiago um perigo ainda maior?



Opinião:
Há livros que não se conseguem ler à pressa, não por serem enfadonhos mas por serem tão bons que precisam ser saboreados, foi assim com o livro da Carla M Soares. Alma Rebelde é simplesmente delicioso. Um romance de época que retrata um Portugal do sec. XIX com todas as suas qualidades e defeitos.

O caminho tortuoso que a coitada da Joana faz desde Roussada até Pêro da Moça consome-a, não pelos dias demasiado longos ou pelas estradas percorridas em pleno verão mas por se ver arrastada para um casamento que mais não é que um jogo de interesses do seu pai e do seu futuro sogro. Imagina-se a braços com um matrimónio terrível onde almeja apenas que o seu noivo a ignore. Contudo nada prepara a nossa protagonista para o que vai encontrar. D. Ana, sua sogra acaba por se mostrar bastante diferente do que poderia esperar uma senhora amável, que se torna rapidamente sua amiga. E Santiago, bem Joana nunca em toda a sua vida, e principalmente nunca depois de ter conhecido D. Miguel, imaginou que o seu noivo pudesse alguma vez despertar outros sentimentos que não de indiferença ou mesmo de repulsa.

Deparamo-nos ao longo de toda a história com factos que sabemos serem verdadeiros num Portugal antigo como a liberdade das mulheres, principalmente as de famílias abastadas, ser restrita, devendo obediência primeiro ao pai e posteriormente ao marido que este lhe escolhesse. Um país onde os títulos nobiliárquicos queriam andar de braço dado com as grandes fortunas nem que para isso se tenha que vender os filhos, como é o caso de D. Gusmão pai de Joana e D. Miguel pai de Santiago. Vemos relatados factos da nossa história de uma maneira tão exímia que nos deleitamos com os mais pequenos pormenores que são retratados, a maior alusão é ao crescimento dos investimentos no Brasil em fazendas de café e minas de ouro mas temos também várias referências ao rei D. Pedro V, como o seu casamento com D. Estefânia. Outra  referência histórica é a construção do caminho de ferro. E assim vemos excelentemente enquadrado o romance de Joana e Santiago.

Embora por várias vezes possamos adivinhar alguns acontecimentos nem isso tira beleza à história ou riqueza à escrita de Carla que nos embala em palavras delicadas e doces, cheias de um requinte maravilhoso. O final surpreendente faz-nos querer mais 2 ou 3 páginas só para sabermos mais um pouco da fantástica aventuras deste casal tão apaixonante. Volto a referir que a escrita da autora é simples mas rica e definitamente bastante envolvente.

É sem dúvida nenhuma um livro que recomendo e aproveito para informar que o mesmo está com 20% de desconto no site da Porto Editora ficando com um preço super aliciante.

2 comentários: