Crónicas de uma Leitora: Mar de Sangue de Steve Mosby - Opinião

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Mar de Sangue de Steve Mosby - Opinião

Autor: Steve Mosby
Edição/reimpressão: 2010
Páginas: 292
Editor: Europa-América

Sinopse:
Alex Connor quer fugir do seu passado. Após a morte da mulher, ele quer esquecer a sua vida e só a sua amiga Sarah lhe dá ânimo.
Sarah é assassinada e a Polícia, embora tenha descoberto o criminoso, que rapta mulheres e as tortura para que se esvaiam em sangue, não encontra o seu cadáver. As horríveis buscas policiais obrigarão Alex a despertar para a vida e para várias mortes cruéis. Somente Paul Kearney, um agente da Polícia, parece compreender a sua espiral descendente na loucura e os dois terão de se embrenhar num mundo negro e sinistro.


Opinião:
Depois de ter lido o Assassino 50/50 pensei que nenhum livro me poderia voltar a surpreender da mesma maneira. Enganei-me. Se já achava Steve Mosby um génio agora fiquei com a certeza absoluta. Somos completamente transportados para uma trama macabra, cheia de contornos arrepiantes e electrizantes.

Mais uma vez a narrativa é-nos dada em dois ritmos diferentes, na primeira pessoa por Alex Connor e na terceira pessoa vemos o detetive Paul Kearney, os dois fazem investigações diferentes em busca de mulheres diferentes, ambas desaparecidas, que no final se cruzarão e ditarão o final. Esse ritmo de início é esgotante pois somos transportados de um lado para o outro e pode-nos quebrar um pouco a leitura mas assim que nos habituamos e começamos a tentar relacionar tudo ficamos verdadeiramente assombrados.

Desta vez não há um assassino para descobrirmos no final, não vemos aquela acção forte e emocionante mas um entrelaçar de acontecimentos que se completam e que nos faz compreender todos os comos e porquês. Só pensamos em descobrir mais, queremos virar páginas mais depressa do que lemos e ansiamos pois mais uma linha antes de sermos obrigados a colocar o livro de lado por qualquer razão.

Com as suas descrições detalhadas conseguimos ver todos os pormenores do que nos é descrito ficando sempre num estado de nervos agonizante. Um livro forte que me fez pensar muitas vezes que realmente há pessoas assim, tão doentias que são capazes de fazer o que aquelas personagens sinistras fazem e saber que vivo num mundo com pessoas com uma perturbação tão grande é realmente assustador. Mosby faz uma pessoa pensar na condição humana. Questionarmo-nos sobre até onde podemos ir, levados pela loucura.

Temos temas fortes e chocantes, como a violência e a pedofilia. Organizações que  jogam com as situações mais macabras. A obsessão de um homem em busca da sua melhor amiga que leva-nos a descobrir um mundo com contornos de deixar qualquer um sem fôlego. Um livro imperdível.

Realmente Steve Mosby É um mestre, um verdadeiro génio que aconselho a todos os amantes da literatura policial.

Sem comentários:

Enviar um comentário